quarta-feira, 22 de junho de 2011

Fordismo, Toyotismo e Volvismo

    


     Fordismo, Toyotismo e Volvismo são sistemas adotados para buscar uma melhoria, cada um com suas performes e métodos em organizações para gerar melhores resultados da melhor forma.


Fordismo

     Na visão do mercado de trabalho quanto sob o aspecto da organização, os tempos mudaram, e a realidade atual é outra diferente do foco mecanicista que foi a chave do sucesso de muitas organizações.
      A Ford buscou verticalizar-se totalmente do sistema altamente burocratizado com problemas, que não tinham soluções práticas, que tinha que produzir tudo o que era necessário dentro da própria empresa, pois era necessário ter prazos de entrega mais rígidos.
     Um dos principais motivos do declínio da empresa nos anos 30 foi que Ford mesmo não tendo ideia de como gerenciar globalmente a empresa sem centralizar todas as decisões, estava produzindo em massa tudo o que precisava, achava necessário, pois para ele era produzir e produzir em massa.
      Chegando do Japão muitas concorrências, aconteceu que implantou um rígido sistema de controle e assim criando vários modelos que atendessem melhor o mercado Sloan , que conseguiu resolver o impasse vivido pela Ford. Esse modelo funcionou bem por um bom período de tempo, mas após isso começou a demonstrar esgotamento.
           

Toyotismo


     Na linha de produção Toyoda e Ohno criaram técnicas inovadoras e descobriram que é mais barato fabricar pequenos lotes de peças diferentes entre si do que lotes enormes e homogêneos mesmo com as dificuldades.
     A Toyota, com seu sistema de flexibilidade obteve sucesso em tirar proveito das necessidades do mercado consumidor e também a se adaptar às mudanças tecnológicas. Na Toyota a complexidade técnica na produção em massa teve como resposta a formação de grupos sob uma liderança forte integrando as áreas de processo, produto e engenharia industrial.
     O sistema Toyota tem como sua vantagem a sua maior adaptabilidade ao ambiente, pode ser também visto como a melhora do Fordismo, o que equivale a dizer que o sistema está sujeito às mesmas contradições de seu antecessor.

            
Volvismo


     Como principais pontos desse tipo de sistema, podemos dizer a aprendizagem e a inovação, que podem ser observados em até organizações inteiras. Tambem o alto grau de experimentalismo se destaca, pois desafia os princípios fordistas e toyotistas.
     A inovação de tecnologias e conceitos nas plantas de Kalmar, Torsland e Uddevalla, é também um exemplo do conceito de produção diversificada de qualidade que vêm caracterizando a Volvo, uma empresa sueca, seu objetivo é executar um trabalho ergonomicamente perfeito, que torne os operários mais saudáveis.
     Sua organização do trabalho é baseada em grupos, cada um deles consegue montar um carro completo em duas horas. Um conceito que leva esse sistema de produção a várias alterações é que tambem 45% da mão-de-obra é feminina.
     Para enfrentar a necessidade de demanda por produtos variados, competitivos e de alta qualidade, a Volvo se ajustou às necessidades e combinou aspectos de produção manual com alto grau de automação, permitindo a imensa flexibilidade tanto do produto quanto do processo.


por: Larissa Moraes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário